Mais Rápido, Mais Baixo

Posted in Letra, Opinião on 01/10/2013 by Downner

Lugares menos distantes

Pessoas mais afastadas

Absurdo é sensacional

Violência em toda parte

O mal virou bom e banal

É errado falar de amor,

Se não for só pra trepar.

O muro caiu, estamos mais presos

Não há mais Destruição iminente

Mas ainda falta muita esperança

Poucos são os que lembram

Menos ainda os que planejam

E quase não se canta mais

As coisas perdem a intensidade

Artificialidade em vez de simplicidade

Do positivismo ao pessimismo

Do progresso a decadência

O tempo parece correr mais rápido

A humanidade vai cada vez mais baixo

Já chegamos bem perto do abismo

Mais alguns anos e vamos cair

Individualismo, conformismo

Hedonismo, consumismo

Insegurança, desconfiança, isolamento

Desunidos, vulneráveis, manipuláveis

Autocontrole completo, dominação total

Poder Absoluto, Adeus pobre coração

Anúncios

Labirintos

Posted in Letra, Opinião on 11/02/2013 by Downner

Prisões de prazer fugaz

Corações enfraquecidos

Sentimentos perdidos

Há alguma esperança

Para mentes tão trancadas?

 

Arranha-céus de ganância

Templos de bitolação

Descargas de merda

Quando nem mais pensar é livre

 

Terra dos labirintos

Dos castelos de atraso

Dos grandes abismos

Das pontes de vidro

 

Cada um com sua maquiagem

Cada um atrás do próprio muro.

Morsa

Posted in Letra, Opinião, Raiva on 25/01/2013 by Downner

Sempre a minha volta

Nas necessidades, nas vontades

Nas mentiras, nas verdades

O que passamos e aumentamos

Tão comum que já faz parte

 

Nos olhares de reprovação

No hábito de tirar vantagem

Em cada escolha que se faz

A pressão de uma onda

No lento desgaste do rochedo

 

Nas duras penas suportadas

Em cada dia de trabalho duro

Morrer devagar pra sobreviver

Enquanto passam na cara

Os desvios do nosso suor

 

Na busca pelo alivio passageiro

De maneira licita ou Ilícita

Na decisão por uma via curta

No ponto mais fundo do sofrimento

 

Nas dificuldades enfrentadas

Por poucos momentos bons

Boas memórias duradouras

De valor e peso incalculáveis

Quarto 101

Posted in Uncategorized on 25/01/2013 by Downner

 

Vícios são valores

Desigualdade é privilégio

Para o bem de poucos

Muitos passam mal

 

Manipular o medo

Canalizar o ódio

Condicionar o comportamento

Usar você contra você

 

Somos todos iguais

Está tudo bem

Pra que pensar?

Nós vamos vencer

 

Uma vitória foi anunciada

Outra bomba caiu lá fora

O progresso vai acalmar

As multidões insatisfeitas

 

Drogas são úteis pra nós

Por isso deixamos você usar

Todos felizes, todos tão sós

 

Somos todos iguais

Está tudo tão bem

Nós vamos vencer

 

Pensar pra que?

Obedeça sem perceber.

When You Don’t Care

Posted in Gray, Letra on 01/11/2012 by Downner

Is another fucking day

And you feel that just can’t feel

And everything that made you worry

Is gone and now you can go on.

 

When the world can explode

When a big bomb can drop

And throw or break your body out

That’s when you don’t care

That’s when you just don’t care.

 

So people try to put you down

But all they do is make you laugh

And your plans just don’t work

So you erase and try again

 

Well the world could down right now

It’s alright, you just don’t care

Everything could be exploding

Yeah! Alright you just don’t care.

Stuffing Toy

Posted in Letra, Raiva on 02/10/2012 by Downner

That little girl looks so sad

Is she screaming for help?

Something happens on home

Something seems to go wrong

 

“daddy” went on her bed last night

And told her the same history again

The silent prison of the disturbing meaning

Of the wolf upon the chipmunk

 

Mommy pretend everything’s fine

And anything wrong is all her fault

So how can they expect her smile?

How can she play if she is the toy?

 

I guess that kid gone away so long

I guess that kid gone away so long

 

Because “daddy” went on her bed last night

And told her the same history again

The silent prison of the disturbing meaning

Of the wolf upon the chipmunk

 

Can’t you see the clear pain in her face?

“daddy” told the same history last night

The wolf upon the chipmunk.

Breve

Posted in Down, Letra, Raiva on 01/10/2012 by Downner

Eu desejo dormir toda vez que acordo

E entrar em coma toda vez que durmo

Se eu tivesse a chance de voltar no tempo

Me enforcaria com o cordão umbilical

 

Uma mensagem martela meu cérebro

Qualquer dia desses eu vou fugir…

Acho que só assim vou estar bem,

Qualquer dia desses eu vou fugir…

 

Porque palavras me afetam tanto?

Agora são apenas ecos distantes

Se acaso houve qualquer chance

Deve ter escorrido como a areia

Da ampulheta que eu destroçei

 

Tudo deixa de ser necessário

Quando se tem conhecimento

De que sua vida é descartável

E totalmente insignificante

Pra quem tanto te importou

 

Seja rápido e discreto

Seja preciso pra partir

Evite olhar para trás!

Saia sem dizer adeus!

Vá logo! Seja breve!

 

Nunca houve retorno

Violência auto-dirigida

O azul se torna negro

Se eu não virar cinzas

Sem flores no meu túmulo…